ESPORTE

‘Sempre que venho ao Brasil, me sinto como se estivesse em casa’, diz Stanley Jordan em entrevista ao JG




Uma das atrações do The Town 2023, Stanley também diz que a música dele foi muito influenciada pelos ritmos brasileiros, e que os próximos álbuns da carreira, inclusive, têm participações especiais de Milton Nascimento e Jorge Ben Jor. ‘Sempre que venho ao Brasil, me sinto como se estivesse em casa’, diz Stanley Jordan em entrevista ao JG
Stanley Jordan, um dos melhores e mais completos guitarristas do mundo e dono de uma musicalidade versátil, falou com exclusividade ao Jornal da Globo sobre o The Town, festival em São Paulo, onde é uma das atrações principais.
“Eu sempre amo tocar em grandes festivais, essa é minha vida. São momentos preciosos que compartilho com as pessoas. (…) Sempre que eu venho ao Brasil, eu me sinto como se estivesse chegando em casa”, conta o músico.
Mesmo aos 63 anos, com 35 de carreira e turnês em todos os continentes ele continua estudando guitarra.
“Eu estou sempre estudando. É infinito. A música é como um oceano, e eu me sinto uma pulga mergulhando nele”, explica.
O Brasil é um velho conhecido na carreira de Stanley. A primeira apresentação foi em 1985, quando sua carreira decolou com o álbum Magic Touch.
Stanley diz que a música dele também foi muito influenciada pelos ritmos brasileiros, e os próximos álbuns da carreira, inclusive, têm participações especiais de Milton Nascimento e Jorge Ben Jor.
O guitarrista americano Stanley Jordan se apresenta no Bourbon Street, em Moema, Zona Sul de São Paulo
Fábio Tito/G1
O músico está no país agora para uma turnê que passa por São Paulo, Búzios, Paraty, Rio das Ostras e Vitória. As apresentações mais intimistas dessa vez são bem diferentes da atmosfera que vai encontrar no festival em setembro.
Essa quinta-feira (25) marca a contagem regressiva de 100 dias para o The Town. O festival estreia em São Paulo no dia 2 de setembro, e segue durante os dias 3, 7, 9 e 10 no Autódromo de Interlagos. Stanley Jordan vai tocar nos dias 7 e 9, num palco voltado especialmente ao Jazz e ao Blues. O músico falou sobre os shows ele gostaria de assistir após se apresentar.
“Eu quero ver tudo! Não sei se vou conseguir. (…) Eu já vi o Foo Fighters e gostaria de ver de novo. Eu assisti à banda numa casa de shows bem pequena, foi divertido, mas eu adoraria vê-los ao vivo num grande palco”, diz.
Como artista e estudioso da musicoterapia, Stanley Jordan conhece como poucos o poder da música e o significado de um festival como esse.
“Acho que a música pode tornar a vida melhor para as pessoas. Pode reunir as pessoas e ajudá-las a esquecer todas as diferenças e lembrar que, no fundo, estamos todos conectados”, explica.



VEJA AQUI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com