BRASIL

Anel de fogo se formará no eclipse solar deste sábado

O próximo eclipse solar anular acontecerá neste sábado (14) e poderá ser observado em diferentes regiões do planeta, como Estados Unidos, México, Belize, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia e Brasil. A última vez que um eclipse solar anular ocorreu foi em junho de 2021, contudo, os brasileiros não puderam observá-lo na ocasião; o próximo com observação no Brasil só deve acontecer em 2067.

Ou seja, essa é considerada uma chance raríssima para observar o evento astronômico que apresentará o incrível “anel de fogo”. Os locais mais favoráveis para a observação do eclipse passam pelo “caminho da anularidade” e é nele que os espectadores poderão assistir à totalidade do evento solar anular. Todas as outras pessoas que estão próximas, mas fora do “caminho da anularidade”, poderão observar uma versão parcial do eclipse.

Felizmente, se você estiver ocupado demais para ir até um bom local assistir ao evento, a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (NASA) preparou uma transmissão que apresentará o eclipse ao vivo no YouTube. Confira abaixo!

Assim como é esperado por pessoas em todo mundo, o visual do eclipse solar anular será incrível, mas não podemos nos esquecer de cuidar da saúde dos olhos. Por isso, destacamos a importância da utilização de óculos escuros especialmente desenvolvidos para os eclipses; se você não puder comprar os óculos, também é possível produzir um projetor de pinhole barato para garantir que o Sol não afetará a sua visão.

“Não pode, de jeito nenhum, olhar diretamente [para o eclipse solar anular], sem proteção. Óculos de Sol vai dar certo? Não! A lua vai cobrir em torno de 87% do sol, mas a borda (que sobra) ainda é muito luminosa. Vai ser uma diminuição muito pequena de luz”, disse o membro da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros, Lauriston Trindade, em mensagem enviada ao G1.

Como e onde assistir ao eclipse solar anular?

O “caminho da anularidade” ocorrerá em algumas regiões entre o Amazonas e o litoral do Nordeste, como Pará, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Ou seja, apenas em algumas partes do país será possível assistir ao “anel de fogo” completo, contudo, o eclipse também poderá ser visto de forma parcial no resto do Brasil — as únicas capitais onde poderá ser observado o evento total são: Natal (Rio Grande do Norte) e João Pessoa (Paraíba).

Horários do início do eclipse em cada capital brasileira:

  • Rio Branco (AC) – 14h16 (Horário do Acre)
  • Maceió (AL) – 16h48 (Horário de Brasília)
  • Macapá (AP) – 16h27 (Horário de Brasília)
  • Manaus (AM) – 15h19 (Horário do Amazonas)
  • Salvador (BA) – 16h48 (Horário de Brasília)
  • Fortaleza (CE) – 16h42 (Horário de Brasília)
  • Brasília (DF) – 16h45 (Horário de Brasília)
  • Vitória (ES) – 16h50 (Horário de Brasília)
  • Goiânia (GO) – 16h45 (Horário de Brasília)
  • São Luís (MA) – 16h37 (Horário de Brasília)
  • Cuiabá (MT) – 15h38 (Horário do Amazonas)
  • Campo Grande (MS) – 15h43 (Horário do Amazonas)
  • Belo Horizonte (MG) – 16h49 (Horário de Brasília)
  • João Pessoa (PB) – 16h46 (Horário de Brasília)
  • Curitiba (PR) – 16h48 (Horário de Brasília)
  • Belém (PA) – 16h32 (Horário de Brasília)
  • Recife (PE) – 16h47 (Horário de Brasília)
  • Teresina (PI) – 16h41 (Horário de Brasília)
  • Rio de Janeiro (RJ) – 16h50 (Horário de Brasília)
  • Natal (RN) – 16h45 (Horário de Brasília)
  • Porto Alegre (RS) – 16h47 (Horário de Brasília)
  • Porto Velho (RO) – 15h21 (Horário de Brasília)
  • Boa Vista (RR) – 15h08 (Horário do Amazonas)
  • Florianópolis (SC) – 16h48 (Horário de Brasília)
  • São Paulo (SP) – 16h49 (Horário de Brasília)
  • Aracaju (SE) – 16h48 (Horário de Brasília)
  • Palmas (TO) – 16h41 (Horário de Brasília)

É importante lembrar que o eclipse solar anular deve ocorrer por apenas um a sete minutos, ou seja, o seu pico deve durar muito pouco tempo. Então, pegue seu óculos especial, garanta um bom lugar e esteja preparado para assistir ao belo “anel de fogo”.

“São Paulo está fora da faixa da totalidade do eclipse, ou seja, quando o Sol é totalmente coberto pelo disco lunar. Nesse caso, o tamanho aparente da Lua é menor do que o do Sol e o eclipse é conhecido como eclipse anular, justamente porque a Lua deixará passar um anel de luz, o chamado anel de fogo. Então, em São Paulo haverá um eclipse parcial, ou seja, cerca de 40% do disco solar será assombreado pela Lua”, descreve o astrônomo do Observatório Nacional do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Filipe Monteiro, ao jornal Estado de Minas.

TechTudo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com