REGIÃO

“Parque é homenagem justa ao Zé Celso”, diz viúvo à CNN sobre disputa com Silvio Santos por terreno

A construção de um parque na propriedade que está em volta do Teatro Oficina, no bairro do Bixiga, em São Paulo, seria uma “homenagem justa” ao Zé Celso, disse o diretor e viúvo do dramaturgo, Marcelo Drummond, em entrevista à CNN, neste sábado (7).

O diretor, morto na última quinta-feira (6) após um incêndio atingir seu apartamento, travava há 43 anos uma disputa judicial contra o apresentador e empresário Silvio Santos, que comprou o terreno em 1980.

A ideia do comunicador era erguer um arranha-céu para seu grupo empresarial, no entanto, sabendo do impacto do prédio ao espaço cênico e região, Zé Celso foi à Justiça.

“A construção dos prédios não só desconfiguraria todo o projeto da Lina [Bo Bardi], o Teatro Oficina, como vários outros imóveis tombados do Bixiga, como TBC [Teatro Brasileiro de Comédia], a Casa da Dona Yayá, o Castelinho da Brigadeiro, porque faria sombra em todos esses imóveis. Não é uma briga só nossa, mas do Ministério Público paulista também”, declarou Drummond.

Uma das particularidades do Teatro Oficina é uma grande janela em uma de suas partes laterais, que possibilita ao telespectador enxergar com certo privilégio a paisagem da cidade de São Paulo. O elemento faz parte do projeto arquitetônico de Lina Bo Bardi, que também projetou o MASP, e fez o Oficina ser considerado “o melhor teatro do mundo” em termos de arquitetura pelo jornal The Guardian.

Zé Celso defendia a criação de um parque no terreno, ao invés dos prédios desejados por Silvio Santos.

data-youtube-width=”500px” data-youtube-height=”281px” data-youtube-ui=”entretenimento” data-youtube-play=”” data-youtube-mute=”0″ data-youtube-id=”aEMetXqPhls”

Durante a entrevista, Drummond relembrou que, no dia de seu casamento – Zé e Drummond se casaram em cerimônia no Oficina, no início de junho, mesmo juntos há quase 40 anos – o casal recebeu uma intimação do Grupo Silvio Santos.

“Recebemos uma intimação porque ganhamos de presente um ipê da Fernanda Montenegro pra plantar e ser a primeira árvore plantada do Parque do Bixiga. Recebemos uma intimação que não poderíamos fazer isso e nos custaria uma multa de R$ 200 mil a cada vez que perturbássemos os proprietários”, disse.

“A gente continua querendo o parque. Acho que é o momento de fazer o parque. É uma homenagem justa ao Zé Celso. O Bixiga não tem praça, tem uma densidade habitacional urbana enorme e não existe um parque onde as crianças possam brincar, onde se possa passear com os animais”, continuou.

“É um momento em que a gente vê que o mundo precisa sobreviver, precisa de árvores. Não precisa de mais prédios. Tem muitos prédios fechados em São Paulo, e muita gente na rua. Essa especulação imobiliária precisa ser repensada. O poder público, ao invés de apoiar a especulação, como está querendo fazer, devia começar a apoiar fazer parques em São Paulo. São Paulo precisa disso”, concluiu.

À CNN, o SBT disse: “O terreno é do Grupo Silvio Santos, mas não temos nada mais a declarar.”

VEJA NO SITE DA CNN BRASIL- CLIQUE AQUI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com